Histórias

BRIVIDO PRODUZ QUEIJOS FRESCOS NO CORAÇÃO DE SÃO PAULO

Queijo branco e ricota italiana são as especialidades da queijaria artesanal

 

Texto Flávia G Pinho | Imagens Caio Ferrari

 

Tenho ouvido tantas histórias sobre queijeiros artesanais fazendo produtos maravilhosos, quase sempre de longa maturação, que me espantei ao conhecer a Brivido. Criada em 2016 no coração da cidade de São Paulo, o que também é fora do comum, a marca tem como especialidade queijos ultrafrescos, entregues em domicílio um dia após a produção.

O advogado Francisco Lobello e a administradora de empresas Beatriz Rocha, um casal jovem e apaixonado pela arte queijeira, está por trás da empresa. Infelizes com suas carreiras originais, ambos pediram demissão em 2015 e entraram no mundo da gastronomia através de um blog, o Da Horta Pra Panela. Não passava de um hobby, mas a tarefa de estudar ingredientes e testar receitas deu aos dois a pista que faltava. “Pensei em estudar gastronomia quando vi que já gostava mais da panela do que do blog”, conta Frascisco, que se formou no curso Cozinheiro Chefe Internacional do Senac.


Meses antes da formatura, ele já se arriscava nas feirinhas de gastronomia paulistanas vendendo supplì, bolinho de arroz típico italiano, e linguiças artesanais – Francisco viveu em Roma por dois anos e nutre um amor declarado pela culinária da bota. Inclusive, foi na tentativa de reproduzir a ricota cremosa que se come por lá, bem diferente da versão seca e prensada mais comum no Brasil, que ele enveredou pelo universo da queijaria. Fez curso do Capril do Bosque, em Joanópolis (SP), e estágio na Fazenda Atalaia, em Amparo (SP), até tomar seu rumo em caráter definitivo.


Ele e Beatriz têm planos ambiciosos para a Brivido – são donos de um galpão de 500 m² na Vila Mariana, em São Paulo, que em breve será transformado em queijaria. O projeto está pronto, com direito a loja e sala para eventos, os investidores já foram conquistados e os dois estão na reta final do labirinto burocrático, no qual entraram há mais de um ano. Enquanto isso, os queijos são produzidos em uma cozinha adaptada.

E que queijos… A linha é pequenina por enquanto, e inteiramente à base de leite pasteurizado a 73ºC, para que o teor de proteína seja mantido. O queijo branco, em formas que variam de 350 a 500 gramas, é o principal produto – por semana, Francisco produz não mais do que 60 unidades. Além disso, ele faz a tal ricota à italiana, com uma versão excelente defumada a frio, iogurte e coalhada seca.


Quando a fábrica estiver pronta, porém, outras linhas serão lançadas – inclusive queijos de massa filada, como mozzarella italiana e a burrata. Mas Francisco pretende manter-se no nicho dos queijos fresco. “É um mercado que os queijeiros artesanais não têm explorado tanto. Quero conseguir produzir uma burrata que emocione um italiano da Puglia.”

Conheça mais sobre a Brivido e seus queijos frescos na entrevista exclusiva que Francisco Lobello concedeu ao Cozinha.Doc.

Total Page Visits: 1122 - Today Page Visits: 5